Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Melhor do que o Mundo Virtual!?


Você encontra de tudo aqui, ou pelo menos, qualquer coisa que a mente humana for capaz de conceber. Um mundo inteiro de figuras 3-D vivendo uma vida virtual na palma de sua mão. E tudo o que você precisa é um mouse, um monitor, e muita imaginação. Mas o que é realmente essa tendência para a ‘virtualidade’? O que está por trás dessa paixão pelo virtual?

Ele senta na sua cadeira confortável, digita o endereço no teclado e sai para uma noite na cidade. Ele faz seu caminho para a balada – diferente de qualquer balada que você conheça. Não há paredes concretas, luzes de néon ou pistas de dança. Esse clube existe somente no espaço virtual.

Ainda assim, as pessoas se comportam do mesmo modo que em qualquer outra balada do mundo ocidental: escutam música alta e moderna, dançam apinhadas num piso lotado e bebem uma porção de drinques no bar. Enquanto isso, estão sentadas diante de suas telas de computador em diferentes partes do mundo.

A tela se ilumina com caracteres virtuais em 3-D – desenhados, vestidos e nomeados pelo usuário que os opera. E por trás de cada imagem está uma pessoa real, localizada em algum lugar do planeta.

Num momento, por exemplo, a tela mostra um arquiteto de Milão, um advogado de meia-idade da Dakota do Sul, e um gerente de marketing de Nova Iorque (bem, pelo menos isto é o que eles disseram que são). Eles se reúnem a Dan – um nome falso, claro (seu nome real está codificado e é mantido seguro pelo servidor). Navegamos com ele por um tour, e o observamos pedir uma cerveja virtual no bar virtual, o que lhe custa 10 dólares virtuais.

Os participantes referem-se uns aos outros por apelidos misteriosos: Fada Negra, Príncipe da Luz, Leonardo da Vinci... Mas não há nada estranho nisso – no seu próprio mundo virtual, você pode ser quem quiser. Quatro deles já se conhecem de ‘encontros’ anteriores, mas eles sabem apenas o que cada um escolheu contar aos outros.
E assim começa outra típica noite da segunda – e muitas vezes, secreta – vida de Dan...

Viver dentro de uma tela de 19 polegadas

“Dan” tem 33 anos, é casado e é pai de duas crianças perfeitas. Ele vive com sua família em um duplex em Palo Alto, California. Faz quatro anos que ele se formou em engenharia de computação e logo vai se tornar um gerente sênior numa companhia de alta tecnologia, que entrou com sucesso na bolsa de valores no ano passado.

Como muitos de nós, Dan é um usuário comum da internet – ele navega através das principais notícias de manhã, monitora seus diversos investimentos durante o dia e, como qualquer profissional de respeito, que valoriza o seu tempo, paga suas contas online todos os meses. Até então, tudo bem, é como a vida continua: mundana, eficiente e muito normal.

A mudança na vida de Dan ocorreu há mais ou menos um ano, quando ele entrou pela primeira vez o mundo virtual. De repente ele foi exposto a uma experiência muito diferente de tudo o que ele conhecia. Sua vida normal foi subitamente preenchida com excitação, algo que há muito tempo ele esperava, e ele foi imediatamente arrastado para esse novo mundo. Desde então, ele tem sido um participante regular, junto com outros sete milhões de usuários, em um novo mundo virtual que existe além do tempo e do espaço, chamado ‘Second Life’.

A atração vitual

Mas o que atrai sete milhões de pessoas para um mundo virtual onde elas começam uma espécie de vida completamente nova e diferente?

De acordo com a Kabbalah, o fenômeno do ‘Second Life’ e todos os outros engajamentos virtuais não são mera coincidência. Eles são sintomáticos da mudança que a humanidade está atravessando. Isto é parte de um processo de desenvolvimento em que nós estamos gradualmente nos tornando independentes do nível físico da existência. Em outras palavras, a humanidade está se preparando para seu próximo nível de existência – o mundo espiritual.

Se você examinar esse processo, você verá que nossa atração pela realidade virtual começou muito antes da recente moda do ‘Second Life’. Na medida em que a tecnologia moderna se desenvolveu, a maioria das profissões começou a apoiar-se na informação que poderiam acessar – e a informação é virtual por natureza. Essa comodidade virtual – a informação – tornou-se vital para nós.

Corporações gigantes e magnatas apóiam-se nisso, processam isto, investem fortunas para assegurar isto, e eventualmente vendem isto por cifras astronômicas (alguém falou em Youtube?).

Outro fator que fez da realidade virtual uma parte essencial de nossas vidas é a nossa crescente necessidade de nos tornarmos globais. Por exemplo, nós podemos armazenar fotos e vídeos na rede e compartilhá-las com a tia Sharon em LA e o tio Frank em Londres – simultaneamente. Com as comunicações da internet, conseguimos facilmente, e a baixo custo, vencer as diferenças de tempo e espaço entre os continentes. É como se nós estivéssemos começando a transcender os limites do mundo físico.

Considerando esse processo de ‘virtualização’, é natural que sete milhões de pessoas (e a lista está crescendo enquanto falamos) estejam levando vidas inteiramente virtuais, em paralelo às suas vidas físicas.

A fuga para o mundo virtual

Porém, a Kabbalah explica que há outro aspecto nesse processo: nossas tentativas de encontrar refúgio em outra dimensão também têm raiz no fato de que nossas vidas ‘reais’ tornaram-se difíceis e tediosas, e que ansiamos por escapar para outro mundo.

Por toda a parte, a humanidade está experimentando uma crise crescente, sinalizada por abuso de drogas, depressão, falência do sistema educacional, desintegração da unidade familiar, desigualdade social e assim por diante.

Como estamos começando a perder a esperança que as coisas melhorem no nível físico, procuramos por outra dimensão, um lugar em que possamos esquecer todos os nossos problemas terrenos. Por isso, estamos construindo mais e mais cenários que forneçam uma distração rápida, excitação e tranqüilidade – tudo o que não encontramos em nossas vidas físicas rotineiras.

O próximo passo

Então o que vem a seguir? Vamos todos nos mudar para o mundo virtual, beber cerveja virtual e flutuar como Dan e seus amigos virtuais? Provavelmente, não. Porém, ‘Second Life’ não é um mau prelúdio para o próximo passo da humanidade.

Como mencionado, nossa atração atual pelo mundo virtual não é apenas coincidência. A Kabbalah explica que esta é uma expressão de nossa urgência, profundamente enraizada, de realizar o nível espiritual de nossa existência – um nível que é perfeito, eterno e sem fronteiras.

De acordo com a Kabbalah, essa urgência latente veio se desenvolvendo na humanidade por milênios. Porém, enquanto no passado podíamos sossegar com nossas experiências limitadas do mundo físico, hoje, a urgência pela espiritualidade está emergindo em mais e mais pessoas, e exigindo realização. Não conseguimos mais nos satisfazer realmente apenas com aquilo que o mundo físico tem a oferecer.

Assim, nossa atração pelo mundo virtual na verdade indica grandes progressos na evolução da humanidade. Ela desempenha um importante papel no preparo da humanidade para a espiritualidade. De fato, todos os nossos negócios virtuais estão nos preparando para nos destacarmos da matéria, nos desconectarmos de nossa identidade corpórea e transcendermos as limitações de tempo, espaço e movimento. Isso acontece mesmo que não estejamos conscientes – apenas enviando um e-mail, a atividade mais comum de hoje, nós eliminamos a distância entre nós, e conectamos um extremo do mundo a outro.

Porém, o mundo virtual não é mais que preparação. Os cabalistas explicam que na medida em que o desejo pela espiritualidade continua a revelar-se dentro de nós, sentimos mais e mais que não podemos existir apenas no nível físico. E ao final mesmo nossas realizações virtuais não serão suficientes para nós – teremos que aprender como entrar, de fato, no mundo espiritual, e viver ali.

Felizmente, o meio para fazer isto já existe. A sabedoria da Kabbalah está aguardando pacientemente para ser usada por qualquer um que se sinta pronto. Os cabalistas explicam que tão logo comecemos nosso caminho espiritual, descobriremos uma abundância de Lua que brilha com mais intensidade que qualquer coloração de alta resolução. Mas essa Luz não vai tremeluzir brevemente na tela do computador e então desaparece quando você voltar para a ‘vida real’. Ela se tornará a Vida Real – que é preenchida sem fim com a Luz da eternidade e da perfeição.

Texto original:
Better than the Virtual World!?