Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

domingo, 25 de outubro de 2009

A Escuridão É O Começo Da Percepção Do Superior

Publicado em 25de outubro de 2009, às 8:56.

Se o Superior não desperta o inferior, o inferior nuca irá pensar á respeito do Superior. Assim, qualquer sentimento ruim é um sinal do Criador para que a atenção seja voltada a ele. O reconhecimento disto é o início da conexão com o superior.

Uma pessoa que, inicialmente, não entende o que está acontecendo com ela, se sente mal e depois se pergunta: “Por que me sinto tão mal? Eu fiz alguma coisa errada? ”

Ela já está adivinhando que há alguém que lhe envia os problemas por algo que ela fez de errado. Agora, o mundo inteiro começa a se sentir parte do superior (AHP) , que desce em nós. Esta é uma peculiaridade do nosso tempo, como estamos agora como sair contra o AHP do Alto não individualmente, mas ligados entre si em um egoísmo global.

A AHP do Alto (escuridão, a vida difícil, a crise) está sendo revelada contra o mundo fazendo com que as pessuas se perguntem: “De onde é que ela vem? Qual a razão? O que temos que fazer?

“Tudo isso vem da escuridão, que é trazido pelo AHP da parte superior. Se não fosse por Ele, não iriamos sentir a conexão entre nós egoístas como negativo, como uma razão de todo o nosso sofrimento.

1. Cada ego individual, chegou ao fim do seu crescimento no processo de milhares de anos de história. Estamos conectados em um sistema egoísta.

2. A oposição à parte superior veio à tona e, portanto, nós sentimos mal. Este sentimento é causado em nós pelo Criador. Ele abaixa a AHP para nos forçar a fazer o nosso apelo a Ele.
No começo uma pessoa simplesmente pede: “Faça com que eu me sinta melhor!”Mas então ela começa a perceber que estar se sentindo melhor não vai ajudar, porque o mundo é global. Eu então ela começa a pleitear primeiro para os outros e só então para ela mesma. Desta forma, a escuridão nos traz as conclusões corretas.

(Das Aulas do Congresso da Eurásia 10.23.09)

Chegou A Hora De Nascer

Publicado em 22 de outubro de 2009, às 15:00, no blog do dr. michael laitman.

Existe apenas uma lei, uma força, que me influencia desde o campo espiritual, do oceano infinito de Luz. Ela só quer uma coisa, atrair-me para o centro, para o bem.

O meu desejo egoísta (meu “fardo”) cresce e se desenvolve constantemente e, portanto, eu estou ficando cada vez mais desequilibrado com o campo espiritual.

Eu estou ficando cada vez mais distante do centro do bem. Mas o campo não muda, eu estou mudando. As mudanças para pior ocorrem dentro de mim, involuntaria e automaticamente. É por isso que o meu estado só está piorando.

Eu não estou sozinho nesse campo, há sete milhões de pessoas como eu, pequenos “fardos” egoístas. E todos nós, de uma forma ou de outra, nos sentimos “maus”.

No final do nosso desenvolvimento egoísta nós nos afastamos ao máximo do centro do bem, para o círculo mais remoto e começamos a nos sentir unidos.

Isso agrava o nosso “mau estado” atual. Cada um sente a si mesmo dependente de todos os outros. Isso o obriga a odiar a todos, e a sofrer por todos.

O nosso estado é semelhante às dores do parto. Durante os nove meses de gestação (evolução da humanidade) a mãe (Natureza) ajuda o desenvolvimento do feto (ego) ao máximo.

Porém, quando se alcança o desenvolvimento (global e fechado) completo (egoísta), a mãe-natureza obriga o feto a nascer.

A crise mundial é uma pressão para o feto comum, a humanidade, a fim de forçá-lo a nascer espiritualmente.

O feto deve virar de cabeça para baixo (mudar as prioridades de recepção para doação) e começar a tentar sair do seu estado egoísta (ajudar a mãe a dar nascimento a ele).

Somente desta forma ele acelerará o trabalho de parto e nascerá para o mundo da luz.

(Da Lição Diária 19.10.2009)

Uma Viagem Ao Redor Do Mundo Num Oceano De Luz

Publicado em 22 de outubro de 2009, às 14:00, no blog do dr. michael laitman.

Uma pergunta que recebi: Não existe o tempo no mundo espiritual, mas será que nós não devemos agir dentro da estrutura do tempo corporal?

Minha Resposta: Quando nós entramos na percepção do mundo espiritual, nós agimos somente num campo de forças - como num oceano, onde a água nos rodeia por todos os lados. Na realidade, este campo é chamado apenas assim - “água”, visto que é basicamente a Luz de HASSADIM (a Luz da Misericórdia, a “água”), onde a vida, a Luz de Hochma, também está presente.

A Luz HASSADIM preenche tudo consigo. Ela não possui lado direito ou esquerdo, um ápice ou um fundo. Por todo oceano da Luz de HASSADIM, desde o seu centro, círculos se dispersam, os quais são os níveis da Luz Hochma. É como um campo magnético ou elétrico, cuja força muda conforme aumenta a distância a partir do centro.

Quando a pessoa começa a sentir a espiritualidade, ela percebe tudo com sentidos que não possuem qualquer percepção de tempo, movimento, espaço, ou existência da realidade, como no nosso mundo.

Embora o espaço espiritual tenha o seu próprio tempo, movimento, espaço e existência da realidade, eles são simplesmente denominados em analogia aos corporais. O tempo é o que chamamos de ações, que a pessoa realiza ao se transformar.

O resultado dessas ações, a mudança interior de uma pessoa e o seu deslocamento para o campo espiritual, é chamado de movimento. Ela se move neste campo de acordo com suas transformações, tornando-se cada vez mais semelhante a este campo e se aproximando do seu centro.

O lugar é a sua disposição no mesmo campo. Ela sempre existe num ponto do seu equilíbrio com o campo, como uma carga num campo magnético ou elétrico.

Os ciclos, que ela percorre sequencialmente, aproximando-se do seu centro e realizando mudanças internas em si mesma, são chamados mundos.

Nós Precisamos Nos Elevar Acima Dos Nossos Obstáculos E Egoísmo

Publicado em 25 de outubro de 2009, às 9:22, no blog do dr. michael laitman

Para ascender espiritualmente nós precisamos do egoísmo, sobre o qual temos que subir. Nós não precisamos eliminar os obstáculos -, temos que superá-los.

Esta é a diferença fundamental entre a Cabala e todas as metodologias espirituais, as religiões e crenças. Elas ensinam uma forma de remover os problemas e acalmá-los, para que todos se sintam confortáveis. Este é o princípio em que mundo inteiro age. Todos acalmam-se da melhor maneira possível, conversando com um psiquiatra, tomando drogas, lutando, tentando encontrar conforto no sono, álcool, a religião e as recompensas neste mundo.

Qualquer coisa que a pessoa faça é apenas para apagar os sentimentos desagradáveis.
Devido a este princípio , religiões atraem as pessoas, acalmando seu egoísmo. Mas tudo é oposto na Cabala - você tem que usar todo o seu egoísmo, para crescer e para subir acima dele.

Portanto, uma pessoa que quer corrigir o seu egoísmo e transformá-lo para doar precisa da Luz que corrige o seu egoísmo. Ele precisa exatamente a força que criou o seu ego, a força agora irá ajudá-lo a subir acima do ego.

Se uma pessoa apenas suprime o egoísmo, então ela não precisa da Luz que retorna e nem do Criador. Ele inventa alguma religião ou metodologia para ele mesmo e fica confortável.
A diferença entre todos os outros métodos e Cabala é que Cabala não acalma o egoísmo, mas ao contrário, aviva-o!

Entretanto, somente o método Cabalístico, o qual trabalha como o egoísmo ( não suprimindo, mas valorizando e utilizando-se dele), leva a pessoa para a Luz Superior.
Realmente, uma pessoa precisa da Luz apenas para subjugar seu egoísmo e essa Luz deve levantar-nos acima de todos os obstáculos. Este é um trabalho espiritual prático.
Se uma pessoa não precisa da ajuda da Luz, o Criador, a fim de superar os obstáculos e seu egoísmo, então ele nunca vai chegar a doar.

(Da Lição #2 do Congresso da Eurásia 10.23.09)

Religião É Uma Invenção Humana Que Causa Separação


Publicado em 25 de outubro de 2009, às 9:00, do blog do dr. michael laitman


Duas questões que eu reccebi á respeito de casamentos mistos entre Judeus e acendência Judaíca:

Questão: Se existe algum problema com famílias mistas (Judeu e não-Judeu) então por que os religiosos representantes do Judaísmo dizem que estes casamentos são proíbidos pelo Criador. Então por que o Todo Poderoso criou tantas famílias mistas?

Minha Resposta: Eu não vejo nenhum problemas em famílias mistas. A maioria das famílias são mistas, na América e na Rússia. Se um dos cônjuges não se torna religioso então não há conflitos. Cabala está acima de todas as religiões e fala da unificacão de todos em um só Criador.
Questão: Recentemente eu descobri que eu sou Judeu do lado do meu pai, cujos antepassados viveram de Portugal na Idade Média e foram forçados pela Inquisição, a converter-se ao cristianismo ou abandonar o país. Eles eram chamados de “Marranos.” Como devo me relacionar com isso?

Minha Resposta: Você não muda em nada, e continua a viver a sua vida como antes. Há milhões de pessoas como você no mundo. Todos nós iremos atingir adesão e equivalência de forma com o Criador, e com os outros.

Juntos Subiremos Aos Novos Níveis Espirituais


Publicado em 22 de outubro de 2009, às 9:00, no blog do dr. laitman

Uma pergunta que recebi: O Congresso de Cabalá da Eurásia na Turquia está começando. Que coisa especial nós podemos receber dos amigos que vemos uma vez por ano, ou pela primeira vez em nossas vidas?

Minha Resposta: Eu acabei de voltar dos Estados Unidos, do Congresso Norte-Americano, em Buffalo. Junto com os estudantes antigos, havia pessoas que eu nunca tinha visto antes.

Eu recebi uma grande inspiração deles! Estas pessoas vivem a grandes distâncias umas das outras, e estão muito distantes em sua natureza e visões da vida; mas, ao mesmo tempo, nós nos tornamos mais próximos, apesar das nossas diferenças. Esta é a coisa mais importante!

As diferenças entre nós são como um resistor numa corrente elétrica. Existe você e eu, e a resistência entre nós, mas nós estabelecemos uma conexão entre nós, acima deste ódio.

Quanto mais diferentes e distantes estamos, mais deixamos de nos entender uns aos outros; porém, apesar de tudo, nós nos esforçamos em nos unirmos interiormente, a fim de revelar a doação mútua e a revelação do Mundo Superior interiormente.

1400 pessoas estão participando do Congresso da Eurásia. Eles são da França, Japão, Islândia, Oceania, etc

Portanto, especialmente junto com as pessoas que não eu vejo muitas vezes, que estão distantes de mim em seus hábitos, visões e mentalidade, se nos elevarmos acima dessas diferenças e desejarmos nos unirmos em amor uns pelos outros, revelaremos o Criador dentro desta conexão.

Portanto, eu espero que a unidade que alcançaremos no Congresso na Turquia nos dê um grande impulso adiante.

(Da lição diária de 21.10.09)

O Projeto do Desejo

Publicado em 22 de outubro de 2009, às 13:00, no blog do dr. michael laitman.

Tudo acontece dentro do desejo por prazer, que foi criado pelo Criador. À medida que este desejo se desenvolve, ele sofre algumas transformações. Inicialmente, nós concordamos e não entramos em conflito com ele. Na verdade, qualquer tipo de conflito é absolutamente impossível, já que a pessoa nunca se distancia desse desejo, e sempre age sob o seu comando. Ela ainda não está ciente de que o desejo não é seu realmente, e que ele a governa. Ela ainda há de distinguir estes dois aspectos dentro de si mesma de forma separada separada: o desejo e o homem.

Então, desperta dentro dela o ponto do Criador dirigido à doação, e a pessoa começa a sentir como se o seu desejo fosse estranho a ela. Ela começa a distinguir entre 1. Desejo, e 2. Eu (ponto no coração).

O esforço dela em mudar seus desejos a distancia ainda mais deles, e a pessoa começa a se sentir como seu escravo. Independentemente de trazer prazer ou dor, a pessoa começa a entender que estes desejos estão sendo enviados à ela. A sua realidade parece constituída por três partes: 1. O Criador, 2. Os desejos que Ele envia, 3. Eu.

A sabedoria Cabalística explica a questão do livre-arbítrio como o modo como a pessoa pode usar a influência do grupo e da Luz Superior (Ohr makif) para exaltar a importância da meta acima dos interesses do corpo e da vida corporal, e como mudar seus desejos de modo a atingir a meta.

É assim que a pessoa desenvolve a sua equivalência com o Criador (doação).

Da Lição Diária de 20.10.09

Um Violino Que Toca A Melodia do Criador

Publicado em 22 de outubro de 2009, às 12:00, no blog do dr. michael laitman.

Nós não percebemos que toda a nossa vida está sujeita a um único curso das coisas. O Criador nos confunde propositalmente, como se o mundo não tivesse origem ou objetivo, de modo que, por desespero de sua ausência, nos alegraremos com a revelação da Cabalá, que é o método da revelação do Criador.

A fim de revelar o Criador é necessário atribuir tudo o que acontece a Ele somente, e corrigir as nossas qualidades para nos tornarmos semelhante a Ele. Se eu me esforço para perceber somente Ele e ninguém mais por trás de tudo que vem até mim - todos os golpes e prazeres, então, a partir desta confusão, eu começarei a construir um sistema de conexões de desejos e pensamentos, que são semelhantes aos do Criador.

Além disso, eu preciso perceber somente a bondade em todas as Suas ações diversas e contraditórias. Se eu acredito que os Cabalistas percebem o Criador como uma fonte única e benevolente, eu me esforço para corrigir minhas qualidades, de tal maneira que eu O percebo da mesma maneira.

Se eu me sintonizar como um violino, que depois de ser afinado começa a tocar a melodia correta, então eu sentirei o Criador; e juntos, Ele e eu, tocaremos em mim. Nós nos fundiremos numa única melodia e num único instrumento.

(Da Primeira Aula do Congresso Norte-Americano 16.10.09)