Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

domingo, 26 de dezembro de 2010

SOBRE RAIZES E RAMOS

SOBRE RAIZES E RAMOS

Artigo publicado no jornal Kabbalah Today, em Abril/2007, por Gilad Shadmon

As regras que afetam nosso mundo se originam nos mais elevados domínios espirituais. Estas regras descem em cascata para a realidade que todos experimentamos, mas neste processo perdem sua beleza e graça. A sabedoria da Cabala nos ensina como redescobrir aquela beleza e reviver nosso lado espiritual.

Para entender o fenômeno em nosso mundo precisamos em primeiro lugar entender sua origem. Se examinarmos honestamente a realidade, teremos que admitir que não temos a menor idéia do porque as coisas acontecem do jeito que acontecem. Em cada campo do conhecimento humano - das ciências exatas, sociais, medicas ou culturais - nós somos incapazes de explicar completa e exatamente o porque das coisas acontecerem. Se pudéssemos, seríamos capazes de evitar que as futuras desgraças viessem a acontecer.

Sempre que alguma coisa não dá certo, racionalizamos suas causas de mil maneiras diferentes, mas no final do dia, o melhor que conseguimos é apenas uma aproximação tosca. Vejam alguns exemplos: "Se eu ontem estivesse usando o meu casaco de lã, em vez daquele casaco elegante de couro, hoje eu não estaria doente." "O dolar está despencando por causa do gigantesco déficit comercial." "O Vasco está perdendo os jogos em casa por causa da pressão da torcida."

sábado, 18 de dezembro de 2010

CAINDO NO BURACO NEGRO DO EGOISMO PELA ÚLTIMA VEZ

 

CAINDO NO BURACO NEGRO DO EGOISMO PELA ÚLTIMA VEZ


Coisas. Elas enchem nossos armários, nossas garagens e nossas vidas. Nós medimos o sucesso na vida pelas coisas que possuímos e ainda mais - gastamos uma incrível quantidade de tempo para comprá-las. Um novo documentário, A História das Coisas, exibe como uma grande parte de nossas vidas foi tomada pelas “coisas”. A sabedoria da Cabala mostra o que podemos fazer a respeito disto.

Annie Leonard, uma especialista internacional em questões de saúde ambiental e sustentabilidade, gastou dez anos seguindo “coisas” desde o seu surgimento como matéria prima até seu fim no lixo. Seu documentário, “A História das Coisas” pode ser classificado tanto como entretenimento como filme educacional e já foi assistido por mais de três milhões de pessoas (www.storyofstuff.com).

Annie descreve o problema simplesmente: “Nós nos transformamos em uma nação de consumidores. Nossa identidade principal se tornou ser consumidores. Não mães, professores, ou agricultores – mas consumidores”. Sua maior preocupação é com o fato de que esta nossa mania consumista destrói nosso equilíbrio com a natureza e arruína a vida das pessoas. E tudo isso acontece longe dos olhos do público.
A seguir alguns fatos descobertos por ela:
  • Só nas últimas três décadas foi consumido um terço dos recursos naturais do planeta.
  • 75% das áreas globais de pesca são exploradas no limite ou acima da sua capacidade. 85% das florestas originais do planeta desapareceram.
  • Os Estados Unidos tem apenas 5% da população mundial, mas usa 30% dos recursos mundiais e cria 30% dos resíduos mundiais. Se todos no mundo consumissem às taxas americanas, seriam necessários de 3 a 5 planetas.
  • A indústria norte-americana gera acima de um milhão e oitocentas mil toneladas de produtos químicos tóxicos por ano. Mais de 100.000 produtos químicos sintéticos são utilizados atualmente pelo comércio.
  • Os produtos químicos tóxicos existentes nos produtos consumidos são absorvidos por nosso organismo. De fato, o leite materno é o primeiro da lista de produtos alimentares, com o maior nível de contaminantes tóxicos.
  • Cada americano gera mais de 2 quilos de lixo por dia, o dobro de 30 anos atrás.
  • Mesmo se fosse possível reciclar 100% do lixo, isso não causaria nem um arranhão no problema; para cada lata de lixo colocada na calçada, o equivalente a 70 latas foram produzidas para a geração desta primeira.

domingo, 12 de dezembro de 2010

O Que Pode Ajudar As Famílias A Permanecerem Juntas?

Dr. Michael LaitmanA única coisa que pode ajudar uma família a permanecer junta é uma sociedade forte que mantenha os cônjuges juntos e os direcione ao crescimento espiritual. Como ambos passam por diferentes estados, subidas e descidas, eles têm de fazer parte desta sociedade e entender que o progresso espiritual é impossível sem o outro. Assim, eles entenderão que precisam de um parceiro. A sociedade do futuro tomará muito cuidado com os casamentos, mas para isso nós precisamos de uma poderosa influência do nosso ambiente.

Nós já recebemos golpes o suficiente da Natureza para entendermos que é essencial alcançarmos o equilíbrio. Nós temos que estabelecer boas relações entre todos nós. Somente isso trará de volta a harmonia da Natureza e a normalizará, de modo que o calor, frio, campos magnéticos, e milhares de outros parâmetros entrem em equilíbrio. Este mundo será sentido como o paraíso, mesmo no plano material. Para sentir-se assim, é extremamente importante atingir o equilíbrio. Nós temos que respeitar uma condição muito simples, onde tudo permanece em conexão mútua em todos os níveis (inanimado, vegetativo, animado e humano).

Um dos pré-requisitos para se atingir o equilíbrio é o estabelecimento das formas corretas de conexão dentro da família. Os Cabalistas rejeitavam homens solteiros como seus discípulos porque um homem sem uma mulher é apenas “metade do corpo”. É impossível corrigir “metade do corpo”. Antigamente, essa exigência era muito rigorosa. Hoje em dia, tudo é simplificado. Todos estão autorizados a estudar, uma vez que estamos passando por um período de transição e não podemos obrigar as pessoas a se casar. Isso está além do nosso poder. No entanto, eu espero que em breve chegará o momento, em que a próxima geração perceberá que nós temos que observar a ordem material e ter uma família, a fim de atingirmos o equilíbrio com a Natureza.

Somente aspirando à meta espiritual é que nós podemos preservar a família. O nosso egoísmo cresceu tanto que as conexões materiais habituais com as crianças, a família e o lar já não podem mais conectar as pessoas entre si. Todos têm um emprego, podem pagar um lugar para viver, e ser completamente independentes. A pessoa se sente relativamente auto-suficiente e não precisa do apoio de sua esposa ou das crianças. É diferente do passado, quando ninguém conseguia sobreviver sem uma família. Agora, a pessoa tem o supermercado, eletrodomésticos modernos e seguros de saúde.

Portanto, apenas um objetivo maior pode elevar a pessoa acima do nível animado e trazê-la para o “nível humano” (“Adão” vem da palavra “semelhante”). Essa é a única coisa que torna a pessoa semelhante ao Criador, revela a eternidade, e nos eleva acima da vida e da morte. É a única coisa que pode garantir a conexão espiritual interna na família. No entanto, ela ainda não é acessível para todos.

Categoria: Casamento, Lição Diária de Cabalá

Nova Tradução: O Ponto no Coração

O PONTO NO CORAÇÃO

Nós estamos vivendo um momento muito especial. Pessoas de todas as partes do mundo estão insatisfeitas com suas vidas, sentem que a vida deve lhes oferecer algo mais e, portanto desejam obter isso. Esse desejo é o despertar do "ponto no coração". Todos nós o temos, e agora, ele está começando a emergir em milhões de pessoas.
Cada seção neste livro é única e instigante, pois de modo suave e sincero lida com as questões mais profundas que dizem respeito, hoje, a todos nós. Nestas páginas você também irá encontrar pinceladas da sabedoria contidas no livro do Zohar (o livro mais importante de todos na Cabala) e em outros textos Cabalísticos. Este livro não se compromete a ensinar Cabala, mas introduz ideias selecionadas dos ensinamentos. Você está prestes a embarcar em uma jornada que não só irá expandir as profundezas do coração, mas também a elevação do pensamento.

Rav Michael Laitman, PhD // DOWNLOAD (PDF)


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A Aurora Da Filosofia

A Aurora Da Filosofia


Desde os tempos antigos e quase nos nossos dias, os cabalistas caminharam paralelamente ao pensamento filosófico, até que a chama apagou. Durante toda a nossa história, temos sido impulsionados pela nossa crescente vontade de desfrutar o que leva cada nova geração a realizar obras cada vez maior no domínio do ego. Ao atualizar nossos desejos, nós utilizamos a nossa razão egoísta, a fim de adquirir, acumular, capturar, desenvolver, e assim por diante.
Mas o desenvolvimento egoísta tem que chegar ao fim; o tempo limite chegou para a correção. O ego em nosso mundo se esgotou, já foi revelada em sua plena medida como era  necessário.
Agora, olhando para o mundo fechado neste “invólucro”, não conseguimos encontrar qualquer outra coisa com que ocupar as nossas vidas. E quando essa renovação cessa e não há mais nada para gozar, o homem se encontra em apuros.

Esta é a situação atual no mundo. Em qual direção vamos nos desenvolver? Devemos viajar para Marte ou pelo menos à Lua? Para quê? Mergulhar no fundo do oceano? Para quê? Procurar espécies desconhecidas para a ciência? Para quê?
Esses dias nós não precisamos de mais nada. O desejo egoísta foi plenamente manifestado, e nem novos caprichos ou aspirações surgem em nós. O jogo está acabado. Isso sinaliza o fim da filosofia e, em geral, o fim de toda a abordagem racional do consumidor que exige que usemos a nossa razão, de modo a satisfazer nossos desejos. Os desejos desaparecem, e a mente, que é a sua conseqüência direta entrega-se a sua posição.
Logo veremos a humanidade crescer cada vez mais burra. Olhando para ela do ponto de vista da Cabala será simplesmente chocante ver que as pessoas estão dizendo, o que ela estão escrevendo, o que a TV mostra que elas estão assistindo. Nós vamos chegar a um ponto em que as pessoas vão se transformar em crianças pequenas, brincando de “joguinhos” do tipo que seriam considerados retardados 50 a 100 anos atrás.
É por isso que a filosofia está morrendo. Ao longo das últimos décadas tem desesperadamente tentado salvar a si mesmo sido deixada no acostamento da história. Ele não está mais sendo levada a sério desde que a nossa oferta de desejos se esgotaram.
Não estamos mais procurando qualquer grandes realizações. Portanto, não precisamos da razão humana, e assim a maioria está muito feliz limitando-se ao nível de um animal. O ciclo está completo e agora temos que dar conta fielmente do “trabalho completo”.
Assim, enquanto os filósofos estavam “por cima”, os cabalistas ficaram quietos, esperando pelo desenvolvimento egoísta concluir. E agora que isso aconteceu, nós nos encontramos em um ponto de ruptura: o velho para trás, agora temos que revelar o próximo palco.
[27541]

Da primeira parte da Lição Diária de Cabala de 24/11/10, o Zohar, “Introdução a Noite da Noiva”

Material Relacionado:
Compensando a Falta De Conhecimentos Com a Fé