Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O que é o reencontro dos amigos (chamado yeshivat haverim) e qual é sua finalidade?


O que é o reencontro dos amigos (chamado yeshivat haverim) e qual é sua finalidade? Quais os benefícios obtidos através da participação nas aulas de Cabala durante a conferência? Comida cabalista? O que são as noites culturais, qual é sua finalidade?… 

Mais de 5.000 pessoas, mais de cinqüenta países, com diferentes línguas, participarão do congresso de Cabala, que será realizado Fevereiro deste ano, em Israel. O objectivo comum de vir para Israel, é o intenso desejo de alcançar o mundo espiritual e de sentir  a perfeita união, que os cabalistas tanto falam há mais de 5.000 anos. O tema principal do Congresso é “união”.

Escolhemos esse tema, a atual necessidade de criar um verdadeiro Kli espiritual para servir como um exemplo da nova direção que o mundo deve tomar.. e que está aberto para quem quiser se unir. Durante o congresso haverá aulas, refeições, reuniões e noites culturais, todos sem exceção falarão sobre o tema que foi escolhido para o congresso. No que diz respeito ao público que não participou de conferências anteriores, conhecer algumas curtas e simples explicações sobre as diferentes atividades que têm lugar na conferência e as suas respostas às perguntas mais comuns:


Pergunta: O que são as noites culturais e qual o seu popósito?
Resposta: As noites culturais talvez sejam a parte mais emocionante do Congresso. Elas simbolizam o estado espiritual da totalidade - o estado em que estamos todos juntos, incluídos numa única alma, cheios de prazer eterno e completo. Durante a noite cultural, estamos acostumados a dar presentes uns aos outros. Nós temos as músicas e os segmentos artísticos que são apresentados diante de todos pelos amigos de diferentes grupos, com o intuito de transmitir materiais profundamente emocionais uns aos outros que vão além dos discursos.Estes presentes simbolizam o desejo de um amigo em dar seu amor e se conectar com outros amigos. Estes presentes comoventes fundem os corações e ajudam os amigos a dissolverem barreiras culturais, mentais, e lingüísticas. Eles também servem para despertar o entusiasmo e a importância do objetivo em cada um deles.


Pergunta: O que há de especial na música Cabalística?
Resposta: Os Cabalistas sempre usaram a música como um meio para transmitir profundas emoções espirituais que eles experimentam em sua ligação com o Criador. Os Cabalistas esperavam que nós também fôssemos capazes de perceber o mundo espiritual com a ajuda das canções e melodias que escreviam. Uma música Cabalística é como um pedido especial para a correção. Cada vez que escutamos uma música Cabalística, as palavras e as melodias acionam as cordas de nossas almas, somos guiados e nos aproximamos do Mundo Superior.Durante o Congresso, cantaremos dois tipos de canções: canções e melodias compostas pelos grandes Cabalistas, como O Ari, Baal HaSulam e Rabash, bem como canções compostas por amigos de todo o mundo do grupo “Bnei Baruch”. Como nenhuma outra coisa, cantar em conjunto é um modo poderoso que nos ajuda a transpor as diferenças culturais e lingüísticas, e nos unirmos com os amigos.


Pergunta: O que nós ganhamos com as lições de Cabalá no Congresso?
Resposta: Sem nenhuma dúvida, com 5.000 pessoas focadas em estarem juntas como um todo e desejando perceber o propósito da criação, as lições durante o congresso são uma rara experiência emocional. Durante o estudo, uma força espiritual denominada “a Luz que reforma” brilha sobre nós. Esta luz especial emana de Ein Sof (Infinito), do nosso estado corrigido onde existimos juntos, incorporada como uma alma única e num estado de prazer infinito - como um homem com um coração. Na medida em que desejamos atingir o objetivo - a origem da Luz - conseguimos nos aproximar cada vez mais dela. Por isso, quanto mais refletimos sobre o objetivo pelo qual estamos reunidos, mesmo que não saibamos como descrevê-lo na íntegra, ainda que tentemos fazê-lo, mais a “Luz que reforma” brilhará sobre nós, aproximando-nos dela e preenchendo-nos. A fim de tirar o máximo proveito das lições do Congresso, cada participante se compromete a se preparar antes da aula, concentrando-se e focando seus pensamentos.


Pergunta: O que há de especial nas refeições Cabalísticas?
Resposta: As Almas, em seu estado Superior, estão ligadas a um vaso que está preenchido com uma luz, a Luz do Criador. Quando os Cabalistas querem demonstrar isso em nosso mundo, eles organizam uma refeição e comem juntos. Este costume é um exemplo de nosso estado espiritual corrigido. O sentar em conjunto em torno da mesa, unidos em idéias e em intenção comum, simboliza a ligação entre nós, o nosso único e pleno vaso espiritual.

Pergunta: Por que os Cabalistas brindam à vida?
Resposta: Durante a refeição estamos acostumados a brindar freqüentemente os amigos com as palavras “À vida!”. O motivo pelo qual enaltecemos nossos amigos não se deve ao fato de tornarmos um homem mais importante, mas sim, elevarmos a grandeza do Criador - Aquele que nos dá a possibilidade e a força para agirmos em prol do objetivo. Brindar “À vida” é um sinal de respeito. O privilégio de dizer “À vida” é dado apenas àqueles que se sobressaem especialmente nos atos de doação para o grupo e para a humanidade como um todo.

Pergunta: O que está por trás da união entre homens e mulheres?
Resposta: O Criador criou Adão, um único homem, que fora então dividido em forças masculina e feminina. Isto significa que um homem não existe sem uma mulher nem uma mulher sem um homem. Somente na união correta entre estas duas partes da Criação é possível descobrir o mundo espiritual e retornar ao sistema geral da natureza chamado “a alma de Adão, o primeiro homem”. A fim de reconstruir o mesmo sistema corretamente, existe uma divisão de papéis que são claramente definidos para cada um dos sexos. Quando nós estamos numa via de perfeição, sentimos que ambos os grupos são iguais em seus pensamentos e não há preferência de um sexo sobre o outro. Aqui, estamos falando apenas sobre a compatibilidade correta das leis da natureza.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Cabala Vs. Loucura Futebolística

Cabala Vs. Loucura Futebolística

Tu já notastes a “loucura futebolística” que está acontecendo em todo o mundo? Pessoas estão aquecendo as suas intenções, pensamentos e desejos por esse esporte mesmo nos dias e épocas quando não há jogos agendados. A TV está virtualmente nos hipnotizando com sua “intenção”, pessoas estão vestindo as cores favoritas dos seus times, todo mundo está falando sobre isso, e, está se tornando , aos poucos, a única coisa que existe, mesmo para os que não são fãs de futebol. O que acontece é que as massas de pessoas estão vivendo as mesmas emoções.

De fato, ao notar pessoas que estudam cabala parece que elas estão fazendo algo muito similar: trabalhando numa “intenção especial” (de doação), focando seus pensamentos e desejos numa direção particular, e se fundamentam numa coisa “elusiva” chamada “doação” de toda forma possível. É a única coisa na qual elas pensam e falam; e a única coisa real na vida para elas.

Então, qual a diferença entre a loucura futebolística e a cabala? O que faz a intenção e o objetivo final dos estudantes de cabala diferir da intenção e o objetivo de fãs de futebol?

A grande diferença é o resultado dos dois. Através do método da cabala ,pessoas desenvolvem uma percepção drasticamente nova – elas abrem um novo senso que percebe algo chamado “espiritualidade” ou doação: uma sensação de percepção além do tempo e espaço. Ao invés de simplesmente “passar o tempo” ou “se divertir”, elas passam por um desenvolvimento imensurável interno de qualidades e sensações, através disso, movendo frente ao propósito de sua existência neste mundo.

domingo, 12 de setembro de 2010

Como Agradar Ao Criador?

 
 Quando disseminamos o conhecimento da Cabalá, nós unimos as nossas almas em um vaso e criamos “um lugar onde o Criador pode revelar-se” a todos os seres criados. Fazendo isso, nós cumprimos Seu desejo e trazemos a Ele o máximo de prazer.

Se somarmos todo o nosso sofrimento e multiplicarmos por 620 vezes (Pi Tarach), será igual ao sofrimento do Criador de ser forçado a se esconder de nós, a fim de nos dar uma oportunidade para amadurecer. Com cada ato que visa a nossa unidade, vamos adicionar mais de uma mesma força (Masach e Ohr Hozer), mais uma alma para o número do coletivo necessário para a revelação do Criador. Através da nossa ação, causamos o que resulta no súbito começo de sentir a existência da Força Superior dentro de sí, a força que possibilita e move o mundo inteiro, definindo todos os estados que atravessamos.

Há uma razão por trás do tremor de terra na Nova Zelândia, os incêndios na Rússia, e um furacão nos Estados Unidos: são as partes do estado coletivo causado pelo Criador para que possamos começar a nos elevarmos a Ele. E quando começamos a nossa subida para o espaço espiritual e reconhecemos essa vida corporal como um elemento necessário, seremos recompensados com uma vida maravilhosa neste mundo. Para conseguir isso, temos que ser capazes de perceber o Criador, pelo menos em parte.

Nada vai ajudar o nosso mundo, mas para sentir que há uma força no Universo, na Natureza, e, entre nós, a força que rege tudo. E estamos a aproximar-se graças a essa consciência da disseminação da Cabala.

Da quarta parte da Lição Diária de Cabala de 08/09/10 , “Rosh Hashaná”

Material Relacionado:
Apocalipse 2010

Elevando O Mundo Inteiro

O propósito de tudo o que nós sentimos na nossa realidade, seja positivo ou negativo, é formar-nos ao longo da escada espiritual. Não há nada que possa ser criado para qualquer outro propósito ou exista por si só. Tudo neste mundo – milhares de objetos, ações ou forças à nossa volta – existe para um único propósito: o meu desenvolvimento espiritual. Eu incorporo, conscientemente ou não, tudo o que me rodeia e, portanto, evoluo.

Na verdade, se tudo veio do Mundo do Infinito até o nível do nosso mundo, onde este existe, aparentemente, sem estar conectado com um todo, então, como objetos e ações do nosso mundo não podem estar ligados por um propósito único do qual eles descem até nós? Como pode haver algo no nosso mundo que não tenha vindo do Mundo do Infinito? E se algo veio do Mundo do Infinito, isso significa que se originou da unidade que existia lá, e, posteriormente, descendo até aqui, tomou a forma da quebra, do distanciamento e isolamento.

Portanto, ao subir a escada espiritual, a pessoa tem que elevar toda a realidade, todos “Deste Mundo”, consigo. Diz-se que através da ascensão espiritual a pessoa eleva (corrige) os níveis inanimado, vegetal e animal da natureza junto com ela.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabala 6/9/10 , “E Jacó Saiu”

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Se a Alma Dói, Então Ela Existe

 Publicado em 05 no blog pessoal do Rav. Michael Laitman

 
 O Criador formou uma idéia criando um ser que atingiria o Seu nível e status e entenderia tudo o que o Criador tinha feito e sentiria tudo o que o Criador sente. Em outras palavras, este ser irá tornar-se exatamente como o Criador!

Mas, para tornar-se equivalente ao Criador e continuar ser um ser criado sem ter que dissolver-se Nele, a criatura tem que conciliar duas forças opostas dentro de si: recepção e doação. Além disso, como se pode compreender algo sem compará-lo com seu oposto? Se fui criado de tal maneira que eu existo em completa harmonia com o meio ambiente e adesão e união total com todos, então eu não estou consciente ou sinto isso.

A sensação vem apenas como resultado de uma força contrária, quando estou perturbado ou falta alguma coisa. É este conflito que eu sinto. Não me lembro que tenho uma cabeça até que eu sinta dor. Se meu ouvido começa a doer, eu sinto que tenho uma orelha. É o mesmo sobre os meus sentimentos que envolvem o mundo ao meu redor. Por enquanto está tudo bem, nós não pensamos sobre isso para nós não sentimos que está ao nosso redor.
Portanto, se um ser criado tem que alcançar a realidade (tanto espiritual e corpórea), ele deve estar em conflito com isso. Em todos os seus sentimentos, atributos, pensamentos, desejos e objetivos a criatura tem que opor-se ao Criador. E é assim que somos feitos, assim como o Criador quis que sejamos.
O post continua neste link

Visões ou O Mundo Espiritual?

 Publicado em 5 no blog pessoal do Rav. Michael Laitman 
 
No Zohar, “Capítulo VaYechi (E Jacó Viveu),” Item 170: Após a partida da alma, todos os seus parentes e amigos no mundo da verdade andam com a sua alma e lhe mostrar o lugar do Éden e o lugar da punição.

Pergunta: As pessoas que sofreram morte clínica falam das visões que a experiência que, em muitos aspectos, são semelhantes ao que O Livro do Zohar descreve. No entanto, essas pessoas nem sabem sobre a Cabala.

Resposta: Entenda que a Cabala não ajuda uma pessoa a ver o mundo espiritual. O mundo Superior só pode ser sentido na alma corrigida. Quer ou não uma pessoa estude um livro de estudos cabalísticos é irrelevante. O importante é saber se a pessoa deseja corrigir-se.
Podemos olhar para as experiências de morte clínica de duas maneiras. Por um lado, quando uma pessoa cai em um estado crítico, é um duro golpe para o corpo fisiológico, que nada mais é do que o desejo de ter prazer. Nosso corpo só aparece para nós como algo corpóreo, que ocupa espaço, mas na realidade é apenas a vontade de desfrutar de um tipo particular de satisfação.


Se este desejo traz a sensação de vazio ou sofrimento, naturalmente não quer sentir o lugar (desejo), do qual vem a dor. Ele quer reduzir e restringir a este lugar, viver menos, para desligar seus sentidos, tomar medicamentos, e assim por diante. Qualquer pessoa que sente o sofrimento emocional ou material quer restringi-lo, ou seja, restringir a sua percepção do mundo, até mesmo, na medida em que o desejo de para de viver.
 
A postagem continua aqui

domingo, 5 de setembro de 2010

Notícias Da Argentina

Nosso grupo argentino abriu o Centro de Cabalá em Buenos Aires. A informação sobre o próximo Curso de Fundamentos de Cabalá está sendo anunciada em todo o país, na edição mensal de “Uno Mismo”, e no Facebook. Muita sorte! Estamos com vocês!