Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

sábado, 5 de dezembro de 2009

A espiritualidade não pode ser alcançada com a mente

Publicado em 25 de Novembro de 2009, às 15h29min, do Blog do Dr. Rav Michael Laitman

  O Zohar: A iluminação da cabeça do Partzuf Atik do Mundo de Atzilut, chamada “a cabeça inatingível”, é Eternidade. É a fonte do pequeno e do grande estado de três cabeças (sistemas de governo) de Arich Anpin, chamado Keter, Mocha de-Ovira (a membrana do cérebro) e Mocha Stima (a mente oculta), que é o Yud Hey Vav de Zeir Anpin mesmo.

 O Livro do Zohar consiste de diferentes partes. Algumas delas usam o idioma árido da Kabbalah, enquanto outras são mais cheias de vida, narrando no idioma da Bíblia ou de lendas. No entanto, não devemos prestar atenção às palavras mesmas. Eu não me importo que palavras eu estou ouvindo. Afinal, os Cabalistas tomaram palavras desse mundo, mas o que é importante para nós é receber uma resposta interna, uma certa sensação no lugar de palavras. A palavra em si não está realmente conectada a essa sensação.


Baal HaSulam escreve no item 155 da “Introdução ao Talmud Eser Sefirot” que atraímos a Luz Circundante ao termos um grande desejo e aspiração de entender o que estudamos, onde “entendimento” significa ser inspirado, receber uma impressão, e se conectar a algo. Está escrito: “E Adão conheceu Eva”,que significa que eles adquiriram uma conexão interna. Conhecimento não desempenha nenhum papel aqui; só o desejo.
Ao invés de ouvir as palavras, devemos desejar sentir o que está acontecendo dentro de nós. Então, estaremos focados na coisa mais importante. O mundo espiritual não pode ser alcançado com a mente. Você precisa de uma nova vasilha de percepção, novos sentidos (Kelim) que se desenvolvam somente por virtude de sua aspiração. Sua aspiração é o que atrai a Luz que Reforma, a Luz Circundante.

As palavras áridas escritas no Zohar usando o idioma da Kabbalah podem não nos inspirar e podem nos deixar com um sentimento árido; mas se a despeito dessas palavras áridas nós ainda tentamos encontrar a sensação e imaginar que aquilo tem que aparecer ante nós, então, as coisas escritas no idioma da Kabbalah terminam sendo mais benéficas para nós do que os textos escritos no idioma da Bíblia ou de lendas. Dessa maneira, muito embora a linguagem da Kabbalah seja seca, é a única que desperta o maior desejo na pessoa que deseja avançar.