Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

CIRCULAÇÃO DA CABALÁ: SIMPLES E NO PONTO CERTO – GARANTIA MUTUA


Como podemos garantir que a circulação de informação da Cabalá não seja vista com antagonismo?
Dr Laitman: A abordagem é simples. Primeiro de tudo, nós circulamos o conhecimento em relação à crise, sem assustar as pessoas, mas mostrando-lhes a situação real. E a situação é que estamos em frente à natureza global, integral. Sabemos de biologia, zoologia, cibernética, física, astrofísica e outras disciplinas que a natureza é global e todas as suas partes são interligadas, todas elas estão em homeostase, harmonia e equilíbrio. Todas, exceto o homem.

O homem foi intencionalmente direcionado para o caminho egoísta de desenvolvimento que durou até o nosso tempo. E agora nos encontramos em crise no que diz respeito à natureza. Em seu desenvolvimento, a sociedade humana tornou-se um sistema global e entrou em um conflito direto com a natureza.



Existimos dentro da natureza, estamos em frente a ela. Este é o núcleo da crise: Nós não correspondemos à natureza. E até chegarmos a concordância com ela, nós vamos nos sentir mal. Isto é o que acontece durante uma mudança de parâmetros, seja temperatura, pressão ou qualquer outra coisa.

Assim, por não nos adaptarmos ao ambiente, temos experiência de crise. Isto mostra o que pode ser feito como a sociedade humana pode corresponder à natureza. Esta correspondência significa que temos que harmoniosamente ligar-nos entre nós e com a natureza. Demandar harmonia de receber e dar de uma forma equilibrada. Afinal de contas, apenas duas forças atuam na natureza:. Recepção e doação.

Se implementar essa abordagem, tanto na sociedade humana, e também em relação ao mundo exterior, nossa vida vai ser boa. Milhares de artigos científicos atestam isso. Nós só precisamos mostrar, explicar para as pessoas. Nós não dizemos nada de nós mesmos, nós simplesmente organizamos os materiais e o apresentamos: Olha, isso é o que constitui o nosso problema. Economistas, cientistas, sociólogos falam sobre isso. Por isso, vamos encontrar uma solução de acordo com seu diagnóstico. Vamos nos curar. “Nós não empregamos a sabedoria da Cabala ou a religião nas nossas explicações”. Nós apenas apresentamos os dados científicos disponíveis corretamente e levamos às pessoas.

Isso levanta uma questão. Como corrigir nossas relações? Como corrigir o homem? Em resposta, explicamos o que está descrito no artigo de Baal HaSulam “A Liberdade” e outros materiais: O homem é um resultado do ambiente e, portanto, precisamos mudar o ambiente para que ele afete a todos de uma maneira diferente. Temos que artificialmente, usando jogos, criar entre nós o ambiente correto.

A influência do ambiente que eu construo me transforma. Sim, eu jogo, eu finjo, na realidade, eu não tenho nenhum desejo de ser agradável e receptivo. No entanto, eu criei um ambiente grande que me influencia de diferentes maneiras, e graças a isso eu mudo.

Isto é o que temos que fazer, semelhante à forma como as crianças crescem. Ao construir o ambiente e sentir mudanças em mim mesmo, eu conheço minha natureza e a Natureza em geral. Eu torno-me sábio, como o Criador, e me elevo ao Seu grau. Este é o nosso objetivo: Não para resolver a crise e ter uma boa vida no nosso mundo, mas para nos elevar ao grau seguinte, corrigindo a crise.

SOMENTE FATOS

Tudo depende da explicação correta; em outras palavras, da educação. Este é todo o trabalho hoje dentro da Cabala. Independentemente dos pontos de vista da pessoa, eu só quero mostrar a todos que a minha mensagem não vem de mim; ela não é a minha opinião pessoal nem a minha religião. Esta é a natureza das coisas; verifique e certifique-se por si mesmo. Claro, eu deveria preparar e adaptar o material para tornar a minha apresentação adequada ao público. Mas, no geral, a minha tarefa é apresentar os fatos. Imagine que uma pessoa está saltando do 100º andar porque ao nível do 99º andar um tecido verde é esticado, que lhe parece ser um gramado. Então, eu preciso afastar esta “grama” ilusória antes da hora e mostrar-lhe a real distância do chão.

PASSAR CONHECIMENTO NÃO ORDENS

Hoje nós devemos explicar a todos o que acontecerá se cumprirmos a fórmula da garantia mútua — conforme ela está sendo revelada. Na realidade, nós estamos falando de Malchut do mundo do Infinito corrigida e equilibrada, mas nós somos guiados pelo momento atual. Ao ignorar a fórmula da garantia mútua, nós sofreremos uma perda; nós simplesmente devemos aprender a obedecer a seus parâmetros.

Portanto, nossa abordagem é informativa. É assim que os alunos são ensinados numa universidade, de modo que depois eles possam aplicar o conhecimento recebido na vida. A pessoa precisa aprender a reciprocidade nas suas inter-relações com os outros, e tem que aprender isto sozinha, sem receber panfletos de nós.

Hoje, praticamente não há profissões que não exijam inteligência da pessoa. Afinal de contas, ela não é um animal. Deixe-a cavar um buraco, mas até mesmo aqui, além da força física, ela precisa da cabeça. Assim, ao treinar pessoas para interagir corretamente, nós apresentamos a elas um campo de ação para a mente e os sentimentos. Nós não as deixamos no nível animal, uma vez que a garantia mútua tem relação com o nível humano: isto é, o humano dentro de mim pondera como co-existir com os outros. Nós estamos falando de um desenvolvimento interior, sensitivo.

Não é por acaso que as pessoas hoje estão à procura de interconexão, vão a manifestações e exigem justiça social e unificação universal. Isso é o que lhes falta e nós explicamos que estes são os ditames da Natureza. De acordo com isto, nós mesmos temos que estabelecer uma conexão entre nós. A comunicação mútua, a garantia mútua, é a lei do sistema integral que nós representamos.






Palestra de Nova York #1, 11/9/11 Publicado em 17 de setembro de 2011  no laitman.com.br

Visite: www.garantiamutua.com.br