Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Uma música para sonhos utópicos

Uma música para sonhos utópicos

Enquanto assistimos ao “Sonho Americano” de um próspero e brilhante mercado decair na nossa frente, não é novidade que nossa fé em relação à mudança piorou também. E ainda assim o futuro parece mais claro do ponto de vista de um Cabalista, que tem olhos de uma águia.

De Platão a John Lennon, muitas mentes brilhantes visaram uma perfeita sociedade onde não há pobreza, guerra, ódio, exploração, crise e racismo - onde todos vivem em paz e harmonia. Hoje, entretanto, uma pessoa precisaria ter uma boa porção das idéias Quixotescas para continuar acreditando em tais sonhos.

Estamos vivendo numa era livre de sonhos utópicos? Sem esperança, sem futuro brilhante no horizonte? Nem tanto… Da perspectiva da Cabala, este tempo é a perfeita hora para que aconteça uma mudança fundamental.

A visão do futuro dos olhos de uma águia
“Estivemos perdidos num terrível deserto junto com toda a humanidade, e agora encontramos um grande e rico tesouro…isso completa nossas almas guerreiras e nos preenche com conteúdo exuberante. A memória dos nossos amigos foi deixada no deserto, mas mesmo assim continua no fundo dos nossos corações.. Por essa razão, temos que soprar esta corneta tão forte que nossos irmãos poderão escutar e se aproximar de nós.. para ser feliz conosco, como somos..”
(Cabalista Baal HaSulam, “Formando a Futura Sociedade”)

Nesse verso, escrito 60 anos atrás, o cabalista Baal HaSulam fala da “tempestade” ideológica da nossa era. Ele declara que está mesmo na hora de explicar as leis e princípios de uma sociedade corretamente funcional - fundada em princípios espirituais. Tal sociedade terá harmonia interna entre seus membros, bem como com toda a natureza que a cerca, porque será fundada em mutua doação - a principal lei da natureza.

Suas descrições não vêm de uma visão imaginada, idéia poética ou fantasia romântica e nem foram derivadas de uma razão filosófica ou uma crítica analise história. Um cabalista é alguém que revelou o mundo espiritual - o todo da realidade, e então tem a visão de uma águia em relação ao desenvolvimento da humanidade. Assim como Baal Hasulam viu claramente e descreveu os eventos que ocorreriam durante os anos de 1940 (Incluindo a Segunda Guerra Mundial e Regimes Nazistas) bem como a crise atual, ele ainda viu que nosso mundo será como sua última geração. E apesar de imagens de ‘Sonhos Utópicos’ suas palavras podem nos despertar algo, elas são atualmente baseadas em experiência prática e uma visão bem racional.

Uma plataforma para o mundo espiritual
“Encontramos a oportunidade de olhar as condições de vida da última geração - o tempo de paz mundial. Pessoas usarão somente a forma de doação e não a forma de recepção. E é bom seguir essa forma de vida que vai servir para nós como lição e um modelo para assentar nossas mentes em relação a essa enchente de ondas nas nossas vidas.”
(Cabalista Baal HaSulam, “Paz no Mundo”)

O que é tão bom e único sobre uma sociedade baseada em princípios espirituais, uma sociedade qual maior valor é mudar suas aspirações e intenções egoístas que nos impulsionam por natureza, até então desconhecidas por nós - doação para nossos irmãos? Uma sociedade que nos permite deixar de lado a preocupação por nós mesmos por nos cercar com milhares de pessoas que vão cuidar das nossas necessidades?

Cabalistas deram um nome a esse relacionamento familiar entre os membros de uma sociedade: “Garantia Mutua”. É a ferramenta mágica que permite que cada individuo saia de sua existência mundana para uma nova dimensão, e lá descobrir um novo nível de percepção. E o que faz essa sociedade ser tão diferente de outras utopias que falharam varias vezes na história? A diferença fundamental é que a “última geração” que Baal HaSulam fala sobre não é um objetivo de si mesmo, mas uma plataforma para o mundo espiritual.

A alternativa
Enquanto a sociedade perfeita descrita por Baal HaSulam parece ser irrealista nos nossos dias e atual época, devemos nos perguntar: “Realmente queremos uma alternativa?” Está claro que a humanidade está rapidamente avançando frente a um futuro perigoso. A crise dos bancos, que iniciou nos EUA e se espalhou pelo mundo, provou pela milésima vez que o efeito borboleta é muito mais do que um clichê. A cada ano que se passa, percebemos claramente mais e mais a nossa absoluta união com cada outro. Gradualmente descobrimos que nós, membros da raça humana, somos similares às células de um corpo humano. E de que outra maneira agiriam as células num corpo, se não como Baal HaSulam descreveu na última geração?

O único remédio para nossa condição deve ser geral ou global, e o modelo da última geração é designado exatamente para esse propósito, fundado na realidade da nossa interdependência global e união, levada pelo fato que a única maneira de nós sucedermos e prosperarmos é por viver como células de um corpo - pelo princípio da mútua doação. A última geração será como uma família cujos membros dividem a BURDEN comum entre si e investem seus melhores esforços no bem comum. Cada membro da família tem um papel e um não é recompensado mais por trabalhar mais horas para ganhar mais comida. Ao invés disso, o princípio espiritual que garante igualdade a todos é que todos aspiram para investir e pôr o melhor esforço possível para beneficiar a sociedade, e também, as necessidades essenciais de todos serão realizadas.

O princípio básico para os membros de uma família - e a sociedade da Última geração - é a idéia de doação para o amigo, onde a oportunidade para doar é a melhor recompensa. Por quê? Porque doar para os outros faz um ser igual a natureza no seu nível mais alto.

*