Páginas

Vídeos sobre a Cabala

Loading...

domingo, 7 de agosto de 2011

O ALTRUÍSMO E O PRINCÍPIO DA VIDA

O altruísmo se define como o velar pelo bem estar do próximo. A investigação sobre o altruísmo revela que não só ele existe na Natureza mas que ele é a base fundamental da existência de cada ser vivo.


Um objeto vivo é aquele que recebe do seu ambiente e lhe outorga. Todo organismo vivo compreende uma combinação de células e órgãos que trabalham juntos e se complementam entre si em perfeita harmonia. Nesse processo, estão obrigados a conceder, influenciar e ajudar-se mutuamente.  A lei da integração da célula e órgão de acordo com o principio altruísta de "um para todos" opera em cada organismo vivo.
 
Em compensação, a essência de toda matéria constitui diferentes medidas do desejo a ser satisfeito com poder, vitalidade e prazer.  A intensidade deste desejo cria vários níveis na Natureza: inanimado, vegetativo, animado, e humano. A intensidade do desejo determina, além disso, cada processo dentro destes níveis constitui e forma cada fenômeno deste mundo que existe antes de nós. Cada nível superior é uma manifestação de um desejo maior e contém todos os níveis anteriores.
 
Através da realização da unidade da Natureza segundo o principio de "um para todos", começamos a perceber a peculiaridade do fenômeno humano e seu lugar no mundo. A peculiaridade dos humanos, comparada ao  resto da Criação, radica não apenas no poder e na natureza dos desejos humanos como também o fato de que os desejos humanos mudam e evoluem continuamente.  Assim, esses são a força motivadora que estimula e faz evoluir a civilização.
 
Com exceção dos humanos, toda a Natureza consome apenas aquilo que necessita para seu sustento.  Os seres humanos desejam mais alimento, mais sexo e mais comodidade física do que necessitam para seu sustento. Este estado e especificamente certo com respeito aos  desejos unicamente humanos, na busca (sem fim) de riqueza, poder, honra, fama e conhecimento.
 
Os desejos que são necessários para a existência não são considerados egoístas, mas sim naturais, já que são ditados pela Natureza.  Estes desejos estão presentes no inanimado, vegetativo, animado assim como nos humanos.  Só os desejos que excedem aquilo que e necessário para a existência, são considerados egoístas.
 
Os únicos desejos que podem ser catalogados como altruístas são os desejos humanos, ainda que  isto seja determinado pelo uso que fazemos deles,  se de fato são altruístas ou egoístas. Além do fato que os desejos humanos crescem espontaneamente, estes incorporam prazer ao humilhar e ver o sofrimento dos outros.  Estes desejos não fazem parte de nossa natureza, mas são implantados em nos através da educação e do ambiente social.
 
O continuo desenvolvimento desses desejos indicam que não acabamos a nossa evolução, quer dizer, que ainda não conseguimos usá-los de maneira altruísta. Portanto, atualmente isto está criando uma grande crise simultânea ao progresso.
 
Como já foi mencionado antes, todas as forças da Natureza, com exceção do ego humano, estão em equilíbrio, formando um só sistema, e o homem e o único que perturba a harmonia dessas.  Tudo na Natureza está conectado e aspira alcançar o equilíbrio dentro de si e ao seu redor. A violação do equilíbrio conduz a uma desintegração do organismo, doença, e inevitavelmente a morte. A possibilidade de manter e restaurar o equilíbrio é uma condição necessária para a existência da vida.

PLANO PARA RESOLVER A CRISE GLOBAL
 
O objetivo das forças altruístas é formar valores dessa índole na sociedade. Os meios para modificar nosso comportamento de egoísta para altruísta é mudar nossas prioridades e escala de valores. Precisamos nos convencer de que a doação à sociedade é muito mais importante e valiosa do que receber dela. Em outras palavras, cada pessoa deve chegar a sentir satisfação muito maior do resultado de dar à sociedade do que uma aquisição egoísta.
 
A opinião pública é o único meio para facilitar esta meta porque a coisa mais importante para uma pessoa é a aprovação da sociedade.  Os seres humanos são feitos de tal forma que receber empatia da sociedade é o propósito de suas vidas. Este elemento é tão intrínseco que ninguém confessa que o propósito de cada ação é receber a estima da sociedade. A questão sobre a nossa motivação para realizar ações nos pega desprevenidos.  É provável debatermos sobre o motivo, ter curiosidade, incluindo o dinheiro, mas não admitiremos qual é o verdadeiro incentivo, o reconhecimento da sociedade!
 
Como se mencionou previamente, os humanos são feitos de tal forma que o ambiente humano determina todas nossas predileções e valores. Nós estamos completa e involuntariamente controlados pela opinião publica. Esta é a razão pela qual a sociedade pode inculcar nos seus membros qualquer tipo de comportamento e qualquer valor, inclusive o mais abstrato.
 
Um bom exemplo do poder da sociedade é o atual sistema de consumo de bens. Assim a sociedade, sistematicamente, se envolve em criar valores artificiais e modas, levando desta maneira a um maior consumo. Para permitir a formação de valores altruístas na sociedade humana, sua parte altruísta deve unir-se e influir nos meios de comunicação em massa, instituições educativas, assim como em diversas classes e organizações sociais.
 
O público deve ter conhecimento a respeito do seguinte:
   -as propriedades do mundo e sua totalidade (integridade), o propósito e o programa;
   - a essência da crise;
   - a causa da crise: a natureza egoísta da humanidade;
   - e a possibilidade de superá-la somente através da mudança da natureza humana.

O perigo de uma situação critica exige que a humanidade - sem o medo de autodestruição - exalte o valor máximo do altruísmo utilizando os meios massivos de comunicação e todos os outros meios possíveis.   Uma continua e decidida formação da opinião publica fornecera a cada pessoa o ambiente que a empurre a outorgar para a sociedade.
 
A modificação das tarefas da sociedade requer a mudança dos sistemas educacionais e de planos, começando muito cedo. Além disso, exigirá transformações cardinais em todas as áreas de educação e cultura.  Todos os métodos de comunicação terão que elogiar e valorizar os eventos de acordo com o seu beneficio para a sociedade, assim como criar um ambiente de doação em relação a ela. Com o uso de cada um dos meios massivos de disseminação, publicidade, persuasão e educação, a nova opinião pública deve, aberta e decididamente, denunciar as ações egoístas e exaltar as ações altruístas como sendo o valor mais apreciado.
 
Através da influência decidida do ambiente, todos aspirarão a receber da sociedade unicamente o necessário para o seu sustento e não medirá nenhum esforço para beneficiá-la, a fim de receber o reconhecimento da mesma.
 
No principio, todos trabalharão para ajudar a sociedade sob a pressão e influência do ambiente. Mas o apoio e reconhecimento das ações por parte dela dariam uma satisfação tão completa que as pessoas começarão a valorizar o ato de outorga à sociedade como o valor máximo e único, ainda que sem a recompensa do ambiente por cada ação de doação. Este processo elevará o nível de consciência humana ao nível da nova civilização.
 
Graças as atividade das forcas altruístas no mundo, ela será conduzida ao equilíbrio com a Natureza. A humanidade receberá o apoio necessário para a redução significativa dos sintomas da crise. E então se produzira uma transformação positiva e total que se manifestara na ecologia, na sociedade e em todos os campos da vida.




Estraído do Livro: Torre de Babel – Último Andar  Israel e o futuro da Humanidade de
Rav Dr. Michael Laitman